quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

PILANTREL DO PT, DECRETA ESTADO DE CALAMIDADE, QUE SÓ VALE PARA OS SÚDITOS NUNCA PARA A FAMÍLIA DE SUA MAJESTADE



VALE A MÁXIMA: UMA VEZ PETRALHA SEMPRE CANALHA E A QUADRILHA PERMANECE UNIDA... ISSO É O QUE PODEMOS CHAMAR DE INVERSÃO DE VALORES. OU SEJA, A BANANA QUERENDO COMER O MACACO.

Nesta terça-feira, servidores dos hospitais do Estado, em greve, exibiram cartazes com desenhos de helicópteros num ato em frente ao hospital infantil João Paulo 2º, em Belo Horizonte. Paralisados desde o dia 22, eles protestam contra o parcelamento dos salários e o corte de alimentação a pacientes e acompanhantes.
“O governo tira o café com leite dos hospitais, mas gasta com helicóptero”, diz Carlos Augusto Martins, presidente da Asthemg (Associação dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais). “É isso que vai tirar o Estado da quebradeira que está? Duvido muito.”
O governo de Minas decretou estado de calamidade financeira no início de dezembro, tem atrasado salários e parcelou o 13º dos servidores.
MUDANÇA – O governo informou que houve uma “mudança no processo de alimentação para evitar desperdício”, e que, desde dezembro, fornece alimentação a acompanhantes apenas nos casos previstos em lei (ou seja, no caso de pacientes crianças, adolescentes, idosos e gestantes).
Para pacientes, as refeições foram reduzidas de cinco para quatro em alguns hospitais – mas o governo argumenta que a quinta refeição, uma ceia simples, foi incluída no jantar.
O governo do Estado afirmou, em nota, que realizou “inúmeras medidas de redução de gastos” para contornar a crise fiscal e que inclusive reduziu substancialmente os gastos com transporte aéreo em comparação com a gestão anterior.
USO “LEGAL” – O governador Pimentel defende que o uso do helicóptero é legal, previsto em decreto estadual, e que gastaria mais se não o usasse. “Se eu fosse de carro, iriam duas equipes comigo antes, para verificar as condições de segurança, e ainda dormir no local. Imagina o custo que isso tem”, afirmou Pimentel, em entrevista ao jornal “O Estado de Minas” publicada nesta terça.
O decreto citado pelo governador estabelece a prerrogativa do uso da aeronave “em deslocamentos de qualquer natureza”. Para ele, o fato é “uma tentativa de fazer tempestade em copo-d’água”.

O vídeo que mostra o embarque do governador e do seu filho foi divulgado pelo deputado estadual Sargento Rodrigues (PDT), que faz oposição a Pimentel e já requereu que o Ministério Público que investigue o caso. Mas o Ministério Público de Minas Gerais informou, por meio da assessoria, que os promotores estão em recesso e que qualquer medida sobre o fato, caso seja avaliada pertinente, só será instaurada a partir do dia 9. – Fonte: FOLHA. - As manchetes e a imagem não fazem parte do texto original -

Nenhum comentário:

Postar um comentário