ESCOLA PROFISSIONALIZANTE SANTA BÁRBARA: EM ARAPIRACA e ARACAJU VIROU FACULDADE"""

ESCOLA PROFISSIONALIZANTE SANTA BÁRBARA: EM  ARAPIRACA e ARACAJU VIROU FACULDADE"""

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

DILMA ENTREGA O “FILE-MIGNON” AOS CHINESES E FICA COM O MACACÃO TODO MELADO DE GRAXA E ÓLEO QUEIMADO...


EM 2010 A CASCATEIRA DA DILMA ENGANOU OS BRASILEIROS OTÁRIOS, JUNTAMENTE COM O LULA, PARA VENCER A ELEIÇÃO  EM CIMA DO TABACUDO DO ZÉ SERRA

 


Um leilão que termina sem concorrência, vencido por quem não ofereceu UMA GOTA DE ÓLEO DE ÁGIO, não pode ser considerado um sucesso. Mas o que há de mais lamentável na licitação do campo de petróleo de Libra realizada ontem são os malefícios que a tardia conversão do PT às privatizações causou ao país. As riquezas do pré-sal já poderiam estar jorrando há muito tempo. O leilão de Libra - se é que se pode ser chamada assim uma disputa sem concorrentes e arrematada pelo mínimo - foi vencido por um consórcio de cinco empresas. A expectativa oficial era de que o campo gigante fosse disputado por 40 empresas. No final, sobraram nove e apenas um grupo apresentou proposta, conquistando a área com compromisso de entregar à União 41,65% do óleo que vier a extrair. O resultado poderia ter sido pior. Mas a entrada de duas grandes petroleiras privadas no consórcio vencedor nos últimos dias - a francesa Total e a anglo-holandesa Shell - melhoraram muito perfil do grupo vencedor e aliviaram um pouco o peso estatal que era esperado para o primeiro leilão do pré-sal. Se o modelo adotado pela gestão petista pudesse mesmo ser considerado um sucesso, não seria voz corrente dentro do próprio governo que as regras adotadas no novo regime de partilha, testado ontem pela primeira vez, devem ser modificadas nas próximas ofertas, que só devem acontecer após 2015. Nas próximas rodadas, deve cair a exigência de a Petrobras ser operadora única dos blocos. A estatal também não deverá mais ter participação obrigatória de pelo menos 30% nos consórcios. Os novos blocos também deverão ser muito menores que Libra (que representa metade das reservas brasileiras comprovadas), aumentando a competição e a arrecadação. Do contrário, vai ser sempre assim: LEILÕES DE MENTIRINHA, SEM DISPUTA E SEM ÁGIO. A realidade é que - até finalmente curvar-se à constatação de que o investimento privado é imprescindível para o país dar o salto que precisa rumo ao desenvolvimento e ao maior bem-estar da população - o governo do PT perdeu tempo demais dedicando-se a enxovalhar um modelo que, este sim, comprovadamente deu certo: o de concessões. Implementado pela gestão Fernando Henrique, a partir de 1997, o regime de concessões gerou resultados que tornaram o setor de petróleo uma das principais alavancas da nossa economia - SUA PARTICIPAÇÃO NO PIB BRASILEIRO SALTOU DE 2% PARA 12% EM DEZ ANOS. NESTE PERÍODO, AS RESERVAS DE PETRÓLEO DO PAÍS MAIS QUE DOBRARAM, SAINDO DE 7 BILHÕES DE BARRIS PARA OS ATUAIS 15,3 BILHÕES. AO MESMO TEMPO, A PRODUÇÃO NACIONAL DE PETRÓLEO PASSOU DE 800 MIL BARRIS/DIA PARA 2 MILHÕES - patamar em que estagnou nos últimos anos, em função das dificuldades impostas pela gestão petista à Petrobras. Em mais uma rede nacional de rádio e televisão, a presidente Dilma Rousseff disse ontem à noite que "A BATIDA DO MARTELO DO LEILÃO DE LIBRA FOI TAMBÉM A BATIDA À PORTA DE UM GRANDE FUTURO QUE SE ABRE PARA NÓS, NOSSOS FILHOS E NOSSOS NETOS". Noves fora a pobreza da retórica, é de se constatar que A PORTA QUE ORA SE ABRE É A MESMA QUE O PT MANTEVE FECHADA POR ANOS E ANOS A FIO AO SE OPOR RAIVOSAMENTE ÀS PRIVATIZAÇÕES. Até que os leilões de petróleo fossem finalmente retomados, no início deste ano, havia transcorrido meia década sem disputas, interrompidas tão logo foram descobertas as primeiras reservas do pré-sal, em 2007. Hoje a Petrobras já extrai 330 mil barris diários de petróleo por dia do pré-sal. Imagine quanto já estaria sendo produzido no país se o governo do PT não tivesse brecado as licitações... A presidente foi à TV dizer também que um certame que termina com duas empresas privadas detendo 40% do negócio "É BEM DIFERENTE DE UMA PRIVATIZAÇÃO". Bobagem semântica. É positivo que o leilão represente, sim, o ingresso de investidores privados que produzirão riqueza no país, recolherão regiamente a parte do governo e permitirão que se gere mais benefícios e bem-estar para a população. Que mal há nisso? Dilma também destacou que o Estado ficará com 85% de tudo o que Libra produzir. Será muito, mas não será tanto: segundo cálculos minuciosos de Luiz Quintans, advogado especializado em direito do petróleo ouvido pelo Valor Econômico, o ganho financeiro e em óleo ficará em torno de 67%, já considerando a participação da Petrobras como renda do governo advinda do campo. Mas o fato é que a elevação das receitas do governo com o pré-sal não dependeria em nada da adoção do sistema de partilha e poderia muito bem ser obtida por meio do aumento da participação especial no regime de concessão. E já há bastante tempo, com a vantagem adicional de não ter produzido toda a celeuma que produziu no setor nestes últimos anos. O BRASIL FEZ ONTEM UM LEILÃO EM QUE O DINHEIRO ARRECADADO IRÁ TODO PARA ENGORDAR O CAIXA DO GOVERNO E PRODUZIR UM SUPERÁVIT FISCAL MENOS FEIO DO QUE SE TEMIA, EM FUNÇÃO DOS DESEQUILÍBRIOS EM SÉRIE QUE A GESTÃO DILMA TEM PRODUZIDO NAS CONTAS PÚBLICAS. Ou seja, o curto prazo governou o aproveitamento de nossas riquezas de longo prazo. Em suma, o leilão não foi um sucesso, como quer fazer crer o governo - se fosse, a presidente Dilma não teria cancelado sua ida ao local onde se realizou a disputa no Rio, temendo que acontecesse exatamente o que aconteceu: a disputa terminasse sem concorrência, com apenas um consórcio interessado e arrematada pelo preço mínimo. Dilma preferiu o conforto de mais uma cadeia nacional de rádio e TV, em que pode dar sua versão dos fatos na esperança de que eles prevaleçam sem serem contestados. Em seu pronunciamento, acena com um futuro venturoso que, por ora, é apenas uma aposta e uma promessa. TORÇAMOS PARA QUE, JÁ NUM TEMPO BEM DISTANTE DA ERA PETISTA, A PROFECIA SE CUMPRA (Fonte: Blog Camuflados. – As manchetes e a imagem não fazem parte do texto original).

Nenhum comentário: