terça-feira, 27 de dezembro de 2016

JUSTIÇA MANDA VASCULHAR GRÁFICAS FANTASMAS DO PT


OS CARTAZES DA CAMPANHA MOSTRAVAM  SOMENTE UM 
CASAL DE PILANTRAS, E RARAMENTE TEMER APARECIA.



O TSE INFORMOU QUE A OPERAÇÃO DE HOJE, QUE MIRA AS GRÁFICAS FANTASMAS DA CAMPANHA IRREGULAR  DE 2014 DO PT, CONTA COM 50 AGENTES DA PF E REALIZA DILIGÊNCIAS EM 20 ENDEREÇOS, EM TRÊS ESTADOS: MINAS GERAIS, SÃO PAULO E SANTA CATARINA. A SAMANGADA TÁ DE OLHO OU NA BUSCA DE COFRES ESCONDIDOS, PAREDES FALSAS E ARMÁRIOS SECRETOS DA PETEZADA...



OLHA SÓ O TAMANHO DA GRÁFICA
QUE O PT IMPRIMIA TODO O SEU MATERIAL
A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (27) mandados de busca e apreensão em cerca de quinze endereços, sobretudo gráficas contratadas pela campanha de reeleição da ex-presidente cassada Dilma Rousseff (PT), na qual o atual presidente Michel Temer (PMDB) era vice. Estão na mira empresas que foram subcontratadas pela gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB, contratadas pelo comitê eleitoral nacional do Partido dos Trabalhadores (PT). Não há  mandados de prisão.
Os mandados foram expedidos pelo  ministro Herman Benjamin, relator do processo que analisa a prestação de contas da campanha petista no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O processo foi aberto apos denúncia do PSDB.
As investigações se referem à "chapa Dilma-Temer", mas o atual presidente nem sequer apareceu na campanha de reeleição da então presidente. Temer somente apareceria ao lado de Dilma no "discurso da vitória", em Brasília, após a apuração dos votos. 

As empresas que são vasculhadas pela PF não teriam prestado os serviços contratados. Em análise dos documentos apresentados concluída neste mês, peritos viram suspeitas de que recursos pagos teriam sido “desviados e direcionados ao enriquecimento sem causa de pessoas físicas e jurídicas diversas para benefício próprio”.
 OUTRA GRÁFICA FANTASMA
O objetivo da operação é verificar se gráficas subcontratadas na campanha tinham capacidade operacional para efetivamente prestar os serviços. Os agentes também cumprem mandados no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).
Relatório elaborado pelo TSE informou que o Ministério 

Público e a PF viram indícios de fraude e desvio de recursos na campanha. A análise levou em conta dados obtidos na quebra de sigilo bancário de gráficas informadas pela chapa como prestadoras de serviços.
Em agosto, os peritos consideraram que as empresas não apresentaram documentos suficientes para comprovar o trabalho pago pela campanha. O relatório também levou em conta documentos apresentados pela defesa de Dilma que comprovariam o uso dos recursos. Mas para os peritos, eles não foram suficientes para responder aos questionamentos sobre os gastos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário