quarta-feira, 21 de junho de 2017

O AÇOUGUEIRO JOESLEY É HERÓI OU BANDIDO?!?!?!



Ossami Sakamori

Joesley Batista é fotografia da impunidade no Brasil. Ele está no País para depoimento em mais um processo que corre na Justiça Federal de Brasília, com pose de empresário bem sucedido. Seja como for, ele está com imunidade concedida pelo STF, quando da delação premiada que foi divulgada amplamente pela grande imprensa. A foto divulgada pelo Estadão de hoje, mostra a forma "arrogante" que ele encara o Poder Judiciário brasileiro. 

Joesley Batista é mais um empresário estelionatário, igual a um outro Batista, o Eike. O menino Eike já figurou na lista dos mais ricos do mundo da Revista Forbes. O menino Joesley é um outro US$ bilionário que consta da mesma revista. As semelhanças não param aí. Ambos são empresários estelionatários que cresceram à sombra do Partido dos Trabalhadores, especificamente do Lula da Silva. Dizia à época que o ex-presidente Lula iria criar os "players" brasileiros no mercado internacional. Só não disse se iria ser os "players" no ramo de bandidagem. 

A empresa JBS era conhecido no mercado financeiro como empresa em grande dificuldade econômica e financeira, antes do Lula. Antes dos benesses concedidos pelo BNDES, sob influência do Lula da Silva e da sua sucessora Dilma Rousseff, até o engraxate do BMFBovespa sabia que o destino da JBS caminhava para a recuperação judicial. Bastou o menino Jesley cruzar o caminho do Lula da Silva, o grupo econômico J&F da qual faz parte o JBS, recebeu aportes do BNDES a juros subsidiados de 1% a 3,5%, fixos, sem nenhuma correção.  ASSIM, ATÉ EU FICARIA MILIONÁRIO!!!

O atual ministro da Fazenda Henrique Meirelles, à época, presidente do Banco Central e fiador da política econômica do governo Lula no mercado financeiro internacional. Junto com o Luciano Coutinho, presidente do BNDES, foram responsáveis pela concessões destes créditos, altamente susbsidiados. Uma empresa de consultoria ligado ao presidente do Banco preparava os projetos que viriam ser beneficiados pelo BNDES. Com costas quentes, Lula da Silva na presidência da República e Henrique Meirelles na presidência do Banco Central o grupo empresarial J&F exponencialmente. 

O ex-presidente do Banco Central do governo Lula da Silva e atual ministro da Fazenda do governo Michel Temer, o Henrique Meirelles e a família Batista são de Goiânia. A proximidade do menino Joesley e Henrique Meirelles são de longa data. Passa batido na grande imprensa, ou ela tem medo de tocar no assunto, o Meirelles foi o principal executivo do grupo econômico J&F dos Batistas. De certa forma, isto é um fator que teve influência na ascensão repentina do Joesley Batista como empresário "player".

A foto do topo apenas mostra a forma arrogante do estelionatário criado pelos governos Lula e Dilma e com sobrevivência no governo Temer.  Mais dia, menos dia, o empresário estelionatário Joesley Batista tomará o mesmo caminho do Eike Batista que saiu da lista do Forbes para entrar na lista da Interpol. Se isto não acontecer, denota-se que o Judiciário brasileiro está tão metido no lamaçal quanto o Poder Executivo. 

Vamos ficar atentos à delação premiada do estelionatário Joesley Batista, para que não haja contaminações nos processos que correm na Justiça Federal. A grande imprensa o trata como um herói. Sem leniência, o verdadeiro lugar endereço do estelionatário deveria ser o Complexo Penitenciário da Papuda. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário