ESCOLA PROFISSIONALIZANTE SANTA BÁRBARA: EM ARAPIRACA e ARACAJU VIROU FACULDADE"""

ESCOLA PROFISSIONALIZANTE SANTA BÁRBARA: EM  ARAPIRACA e ARACAJU VIROU FACULDADE"""

sábado, 28 de março de 2020

EU SOU A LENDA



Por Altamir Pinheiro

Ruas devastadas, sombrias e sem habitantes... Para a época de hoje, em tempos de coronavírus,   esse é o cenário principal do  filme EU SOU A LENDA, em inglês I AM LENGEND. É  um dos mais famosos na categoria de filmes sobre epidemias. Protagonizado por Will Smith e dirigido por Francis Lawrence  com data de lançamento, no Brasil,  em 2008. Grande destaque também para a cachorra Samantha e a bela atriz brasileira  Alice Braga. A     história gira no entorno de um mundo totalmente destruído por uma doença que transforma as pessoas em criaturas parecidas com "VAMPIROS".  Sem dúvida é um dos melhores filmes da carreira de Will Smith, muito bem interpretado, com uma história um tanto convincente e bem desenrolada, além de  bem produzida e dirigida com  atuações convincentes, cenas de ação espetaculares, efeitos visuais de perder de vista e uma excelente  dublagem.

Eu Sou  a Lenda  foi baseado no filme "A ÚLTIMA ESPERANÇA DA TERRA", de 1971, com uma interpretação magnífica do astro  Charlton Heston.. Eu Sou  a Lenda é baseada em romance de Richard Matheson, pois  é muito bem escrita e tem no ator Will Smith uma força impressionante. É ele sozinho que dá credibilidade a trama. As imagens de uma Nova York devastada também são impressionantes. Um terrível vírus incurável, criado pelo homem, dizimou a população de Nova York. Robert Neville (Will Smith) é um cientista brilhante que, sem saber como, tornou-se imune ao vírus. Há 3 anos ele percorre a cidade enviando mensagens de rádio, na esperança de encontrar algum sobrevivente. Robert é sempre acompanhado por vítimas mutantes do vírus, que aguardam o momento certo para atacá-lo. Paralelamente ele realiza testes com seu próprio sangue, buscando encontrar um meio de reverter os efeitos do vírus.

Lançado em 1954, o romance Eu Sou a Lenda, de Richard Matheson, está em sua terceira adaptação para o cinema - e deve ganhar muitas mais no futuro. O motivo são as excelentes ideias contidas na obra, que se relacionam com os temores mais primais da humanidade, que não envelhecem. Essa base é a mesma nos três filmes - Mortos que matam (The Last Man on Earth, 1964), A Última Esperança Sobre a Terra (The Omega Man, 1971) e o atual, Eu Sou a Lenda (I Am Legend, 2008) - todos absolutamente distintos esteticamente e icônicos representantes de suas épocas. Filme preciso, mexe muito com a nossa cabeça e com nossos sentimentos. Um exemplo de coragem e determinação do personagem Robert Neville que fica sozinho em uma cidade em meio ao caos de um "APOCALIPSE" e que mostra como é importante ter uma companhia, no caso o seu cachorro, dando esperança e força para continuar sua luta diária.

O cinéfilo Érico Borgo nos conta que o filme deu certo em razão de  ser superlativo e ter figuras como   o competente cineasta Francis Lawrence e o astro Will Smith que dá certo justamente ao exercer o poder da maior indústria cinematográfica do planeta. Se o filme EXTERMINÍO tem uma das mais legais cenas de cidade abandonada já feitas, Eu Sou a Lenda tem um filme inteirinho delas - e gravadas na Nova York de verdade, interrompendo as veias da frenética capital do mundo em prol da diversão. Smith está competente como nunca (atenção para a cena com o cachorro no laboratório e as discussões com Ana, vivida pela brasileira Alice Braga), o cineasta sabe direitinho o que faz e o roteiro tem um ritmo diferente do que normalmente se vê por aí.  Eu Sou a Lenda é o tipo de filme que costuma fazer sucesso nos cinemas ao misturar o carisma de um ator do porte de Will Smith a caprichados efeitos especiais e um enredo apocalíptico. Na verdade, o diretor Lawrence utiliza-se da ausência de luz e som em alguns momentos para criar o clima claustrofóbico que remete à solidão sentida pelo personagem. Eu Sou a Lenda, em tempos de coronavírus,  é um filme de boa valia e vale a pena assisti-lo.

 


2 comentários:

A Marreta do Azarão disse...

Vejo que, pelas resenhas de filmes apocalípticos que tem feito, você está preocupado com o coronavírus. Está ficando em casa?
A miraculosa Pau Dentro, além de dar uma paudurescência de aço, também reforcará nosso sistema imunológico?

Altamir Pinheiro disse...

MARRETÃO!!!

Nesses dias de enclausuramento residencial, a partir das 11 da manhã, tranco os dentes na pau dentro e só vou encerrar o expediente lá pras tantas, pois só vou dormir "BEBO AS QUEDA!!!"...