segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

SEGUNDA-FEIRA DE CARNAVAL É DIA DE PAPAR A MULHER, CUNHADA E A TIA...


No carnaval do ano passado reunimos a mundiça, alugamos uma casa na praia de quinta categoria e passamos a semana lá, vou eu (TONHÃO de 50 anos),  minha esposa (CHICA DO RASGÃO – 22  anos ) e outras pessoas que faziam parte do mundiçal, dentre elas, (GINA GRELO DURO - 40 anos), recém separada, falsa magra, cara de cavalo ou égua viçando, esguia e malhada, com uma cara de safada que só ela tem, TIA da minha esposa e sua filhinha de 8 anos. O convívio sempre foi legal, tranquilo e sem muitos acontecimentos, até que o dia que isto mudou. Na segunda-feira foi meu aniversário, a noite fizemos churrasco,  BEBI TODAS AS CACHAÇAS PAU DENTRO QUE TINHA DIREITO(PINGA COM RAIZ DE PAU) e no dia seguinte acorde só o lambaio, fudido,  com uma ressaca fuderosa e com gosto de guarda-chuva na boca, no entanto, amanheci com a pica dura que parecia uma furadeira elétrica.  Todos foram pra praia e acabei ficando em casa sozinho. Levantei, fui bater uma punheta e tomar um banho, nem fechei a porta (tava sozinho mesmo) e fiquei lá embaixo do chuveiro tentando acordar e passar um pouco a filha da puta da ressaca. Quando dei por mim, GINA GRELO DURO tinha voltado para pegar o celular que tinha esquecido e ficou me olhando tomando banho e me olhando com aquela cara de vagabunda. Desliguei o chuveiro, mas ela voltou pra praia e eu me enxuguei, tomei um copo cheio de PAU DENTRO para mandar a ressaca pro beleléu, depois  um café forte sem açúcar  e  me mandei pra areia da praia, para lá bater mais outra punheta com a mão cheia de areia para sentir aquele arranhãozinho gostoso na cabeça da jeba que fica toda irritada, mas compensa em razão da gozada superar a dor e ser daquela do sujeito cair de costa de cu trancado com os Zóio virando e arregalados. Os dias seguintes transcorreram sem nenhuma situação diferente ou vexatória e também não consegui me aproximar da GINA GRELO DURO e voltamos pra Garanhuns. A oportunidade de reencontrar a égua viçando, digo, GINA GRELO DURO surgiu no mês seguinte, quando a mãe de CHICA DO RASGÃO,  minha esposa  (irmã de GINA GRELO DURO) precisou ficar internada e toda noite alguém da família iria posar no hospital e minha esposa iria posar nesta noite com a mãe. Como estava chovendo e, GINA GRELO DURO estava sem carro, ofereci uma carona pra ela, o que ela prontamente aceitou, já com segundas intenções. Como era sexta feira, a filhinha dela estava com o ex-marido, e aí estava a oportunidade que eu precisava para enterrar a pica na boca daquela égua. Nos despedimos de minha esposa e fui levar GRELO DURO pra casa. No caminho fomos conversando amenidades e sugeri irmos comer alguma coisa, porém como estava chovendo muito, ela falou pra irmos pro sobrado dela, que lá faríamos um lanche. Ao estacionar o carro, do estacionamento coletivo até o sobrado (apesar do guarda chuva nos molhamos todos). Ela então foi lavar a buceta e enquanto tomava  banho eu fiquei aguardando, até ela sair com um robe curtinho e transparente, além daquela  cara de safada doida por pica. Daí,  me ofereceu uma toalha e um robe e falou pra eu ir tirar o sebo da pica e lavar o rabo  enquanto ela preparava o lanche. Saí do banho já de pica dura, ela disse com a maior cara de vagabunda, pode vir comer… Fui em direção a ela, a encarei, agarrei e dei um beijo naquela bunduda, peituda e bucetuda, apesar do grelo, chupei e mordi  o pescoço dela feito um vampirão tarado da meia-noite, abri o robe e caí de boca naqueles peitos siliconados até ouvir ela gemer, daí desci pra buceta cabeluda   e molhadinha quando ela endoidou de vez e dizia, ai que saudades de uma vara, adorei ficar olhando você tomando banho na praia, deu vontade de cair de boca. Então falei – vem cá chupar então sua vagabunda do grelo duro. Fiquei de pé, ela se ajoelhou e caiu de boca chupando a cabeça, as bolas e me olhando com aquela cara de VADIA carente. Joguei ela em cima da mesa, deitei-a e abri as pernas e enfiei tudo naquela bucetinha gostosa, empurrada tudo e tirava de leve, só deixando a cabecinha,  e ela gemendo gostoso e pedindo que eu chupasse a língua na boquinha dela. Fiquei enfiando gostoso até sentir que ia gozar e dei o pau pra ela chupar até mandar 3 cargas de porra na garganta profunda da piranha, que me olhava e lambia os dedos parecendo uma loba faminta. Fomos tomar mais   uma ducha, fazer um lanche e tive que ir pra casa pegar roupas pra CHICA DO RASGÃO, minha esposa e retornar ao hospital. No dia seguinte conversei com GININHA GRELINHO DURINHO  e ela me  disse que tinha adorado foder comigo, apesar de estar com a priquita toda assada de tanto ser socada, queria ser rasgada, mais uma vez pela minha jeba que também tava toda esfolada, vermelha e em carne viva.  Daí  falei que quando eu tivesse tempo dava uma  ligada pra ela. Pois, enquanto isso, minha pica e sua priquita iam sarando das assaduras a que foram submetidas. Na terça pela manhã, liguei pra GININHA e falei que precisava falar com ela, e ela falou pra passar lá no sobrado dela no final da tarde. Fui lá, e ela estava me esperando peladinha e me olhando com “AQUELA CARA” de novo. Disse que passou um creme na sua perereca e tava pronta para outra quando me ofereceu para eu passar na minha piroca e  aproveitando ela fez uma massagem com a pomada que eu entrei em estado de êxtase total e virei os zoinho gozando de novo. Logo após, bebi um copo d’água,  Joguei GINA GRELO DURO  na cama, chupei a buceta, enfiei nela sem dó, botei de quatro, dei uma lambida no cuzinho, enfiei um dedo e ela me falou: que delícia, daí tirei o dedo e enfiei o pau e comi violentamente o rabinho e a vagabunda gritava de prazer até que não aguentei mais e enchi o rabo dela de GALA RALA, em razão do estoque estava chegando ao seu final. Acabamos por nos amancebar. Ou para ser mais elegantes: TONHÃO & GRELO DURO tornaram-se amantes. Diante dos acontecidos comecei a ir pro trabalho mais cedo (disse pra CHICA DO RASGÃO, minha  esposa, que era pra não pegar ônibus cheio demais).  Todas as segundas, quartas e sextas, esperava a condução levar a filha dela pra escola e entrava de casa a dentro para fuder   violentamente a  tia vagabunda da minha mulher CHICA DO RASGÃO. A coisa já tinha virado rotina, gozava na boquinha, nos peitos,  na buceta e enrabava ela de tudo que era posições, apesar dela gostar mais do velho e tradicional estilo cachorrinho...  Até que em janeiro deste ano, ela pegou férias, e quando voltou disse que não iria sozinha pra praia no carnaval com as pessoas da família, que iria com o novo “NAMORADO”. EU NÃO FUI NEM A PAU!!! EU POSSO ATÉ SER VIADO ALGUM DIA, MAS CORNO, NUNCA!!! Estou sabendo que ela se mandou para a praia  de Nossa Senhora da Coroa Grande com um coroa careca da barriga de chopp, cerca de 20 anos mais velho que ela. Para mim não foi nada estranho nem me pegou de surpresa que certa vez  eu já tinha ouvido  dela, que  tava na hora de sossegar à vida e ter alguém pra conviver no dia a dia e que a menina também precisava de um padrasto e coisa e tal e vire e mexe... Mas continuava a me olhar com aquela cara de puta de Pidona… Carente... Insaciável... AÍ É PRA BOTAR O DEDO NO CU E RASGAR, ORA PORRA!!! Será que vou ficar sem a minha vagabunda, GININHA DO GRELINHO DURINHO?!?!?! Hoje, em plena segunda-feira de carnaval, encontro-me numa situação deplorável eu tô um homem acabado!!! Tô só o caco!!! Ando  em  estado etílico avançado, bebendo todas as cachaças PAU DENTRO que tenho direito,  bêbado “as queda” e morrendo com as mãos feito colher de pedreiro... MAS NÃO HÁ DE SER NADA, quando eu pegar GINA DO GRELO DURO, aí eu vou tirar o atrasado... do jeito que eu ando de pica dura direto, aí a madeira vai deitar e a catingueira envergar... 
O GRELO DURO
DELA ESTÁ
ESCONDIDO NO
TUFO DE PENTELHOS



Nenhum comentário:

Postar um comentário